/  Sexta-Feira  20 de Outubro de 2017
  Menu Principal
     Página Inicial
     Região
     Mapa da Baixada
     Bares

  Guia da Baixada
     Hotéis
     Restaurantes
     Passeios
     Shopping Centers

  Utilidade Pública
     Hospitais
     Aluguel de Carros
     Ache Tudo
     Bancos/Agências

Turismo

Turismo em Santos
Um tour pelos principais pontos turísticos da cidade de Santos.
Confira aqui

Praias

Nos 7 km de praias santistas encontra-se o maior jardim contínuo do mundo. O jardim de Santos, em estilo eclético, entrou para o Guiness World Records no ano 2000 como o jardim frontal de praia de maior extensão do mundo. Os nomes das praias de Santos variam de acordo com os bairros, separados por característicos canais que cortam toda a cidade: José Menino, Pompéia, Gonzaga, Boqueirão, Embaré, Aparecida e Ponta da Praia. A Baía de Santos com seus morros e ilhas e os navios aguardando a entrada no porto complementam a paisagem.


Jardins e Praias

Santos possui um jardim considerado dos mais belos do país. Com seus 5.353 m de comprimento, largura média entre 45 e 50 metros e cobrindo uma área de aproximadamente 288.000 m², no ano 2000 o jardim foi reconhecido pelo Guiness World Records como o jardim frontal de praia de maior extensão do mundo.

Em junho de 2010, o jardim da praia foi tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico do Estado), incluindo a Praça das Bandeiras no Gonzaga, a marquise modernista e a fonte no Boqueirão, a Fonte do Sapo na Aparecida e até a ciclovia. Dessa forma, com exceção da manutenção dos jardins e substituição de equipamentos, qualquer intervenção deverá ser analisada e aprovada pelo Conselho.

A orla tem quase mil árvores, entre 20 espécies, como chapéu de sol, abricó, murta, aspratéia e outras. Só de palmeiras são cerca de 1.200, reunindo espécies como gerivá, tamareira, sabau, areca elocuba, cica, palmeiras imperiais e reais. Há também mais de 200 arbustos de 19 variedades, como o pingo de ouro. Nos quase mil canteiros de flores ornamentais se podem apreciar crisântemos brancos, azaleias, biris vermelhos, lírios amarelos, margaridas, onze horas, lantanas, lírios da paz amarelos e mesclados, córeops, zínias, emigraphis, clorofitos, íris, moréias, agapantos e outras.

Os 7 km de praias da cidade recebem os nomes de seus respectivos bairros: José Menino, Gonzaga, Boqueirão, Embaré, Aparecida e Ponta da Praia. Com características próprias, a faixa de areia que separa o jardim do mar é bem extensa, possibilitando acomodação confortável para os milhares de turistas que visitam as praias anualmente.
 Santos também oferece condições propícias para a prática do surf. A cidade tem um dos maiores contingentes de surfistas do país. No Emissário Submarino ou Quebra-Mar (veja mais abaixo), há uma plataforma iluminada para a prática noturna do esporte, arquibancada e torre de juízes para a realização de campeonatos.


Canais

Sete principais canais superficiais drenam a área da insular da cidade de Santos. Projetados no início do século XX pelo engenheiro Saturnino de Brito, integram o Plano de Saneamento da Cidade de Santos. Em 1907 foi inaugurado o primeiro canal para a canalização dos rios e a drenagem dos terrenos alagados, próximos ao Centro da cidade. A abertura dos canais de mar a mar evitava a estagnação das águas na planície, consequentemente diminuindo o surgimento de epidemias. Os canais de Santos caracterizam peculiarmente a cidade e são excelentes pontos de referência, para moradores e turistas.

Os 7 km de praias da cidade recebem os nomes de seus respectivos bairros: José Menino, Gonzaga, Boqueirão, Embaré, Aparecida e Ponta da Praia. Com características próprias, a faixa de areia que separa o jardim do mar é bem extensa, possibilitando acomodação confortável para os milhares de turistas que visitam as praias anualmente.
 Santos também oferece condições propícias para a prática do surf. A cidade tem um dos maiores contingentes de surfistas do país. No Emissário Submarino ou Quebra-Mar (veja mais abaixo), há uma plataforma iluminada para a prática noturna do esporte, arquibancada e torre de juízes para a realização de campeonatos.


Museu da pesca

A história do Museu de Pesca começa no século 18, quando o local foi estrategicamente escolhido para a instalação de um forte que cruzasse fogo com a Fortaleza da Barra, do outro lado do canal, afim de atuar na defesa de Santos e São Vicente.

O Forte Augusto, como foi chamado, pertencia ao Ministério da Marinha. No início, não passava de uma muralha de pedra armada com algumas peças de artilharia, e que foi totalmente destruído em 1894, com a Revolta da Armada. Somente em 1905 a Marinha termina de derrubar suas ruínas e lá constrói um prédio, inaugurado em 1908, para instalar a Escola de Aprendizes Marinheiros. Em 1931, a Marinha cede o prédio à Escola de Pesca, com o objetivo de profissionalizar a pesca na região.

 

O Museu de Pesca, instalado no local do antigo Forte Augusto.
 

Mais tarde, o prédio veio a abrigar o Instituto de Pesca, ligado ao Governo Estadual, responsável pela pesquisa e estudo da vida marinha.

O Museu de Pesca teve sua origem no antigo Gabinete de História Natural, que foi crescendo com o tempo e com o acúmulo de grande coleção de espécimes, como tubarões, arraias e outros peixes do Atlântico Sul. A incrementação do Museu de Pesca aconteceu em 1942, com a chegada de um enorme esqueleto de baleia de 23 metros, e que exigiu a derrubada das paredes de 3 salas do prédio para a sua instalação e exposição.

De 1987 a 1998, o prédio esteve fechado ao público para uma ampla reforma. Mas reabriu com uma nova disposição, salas para mostras itinerantes e temáticas e muitas novidades. De sua programação ainda constam cursos, transformando o Museu em um dos melhores meios de educação ambiental do litoral, que recebe atualmente uma média de 100 mil visitantes por ano.

 
Atrações


O Museu de Pesca tem muitas atrações. Lá se pode encontrar espécies raras de tubarão, coleções de conchas, areias brasileiras, corais, aves marinhas, peças de arte caiçara e muito mais. Também há projeções de vídeos e palestras voltadas à vida marinha. Merecem destaque:

Ossada de Baleia
Medindo 23 metros de comprimento e pesando 7 toneladas, esse esqueleto encontra-se suspenso no primeiro andar do edifício. Sua origem é de uma baleia que encalhou em Peruíbe, no ano de 1942. Um recorte no piso, com um enorme vidro, permite avistá-lo logo do andar térreo.

A ossada de uma baleia de 23m - a principal atração.
Sala dos Tubarões
O destaque desta sala são os espécimes taxidermizados: o anequim, com cerca de 3 metros de comprimento (que encalhou em Santos no reveillon de 1998, próximo ao Canal 6) e o mangona de fundo (o segundo exemplar dessa espécie encontrado em todo o mundo). Também se poderá conhecer a anatomia de um tubarão na reprodução de um deles com as vísceras à mostra. A sala possui painéis exibindo desenhos e informações sobre a vida dos tubarões e sobre o lado econômico de sua captura (há cartilagens e sapatos feitos de couro de tubarão).

Uma das espécies expostas na Sala dos Tubarões.
Vida Marinha
Na sala da vida marinha, Inúmeras espécies de peixes que habitam rios e mares brasileiros, como a piranha e a tartaruga-marinha, que é mostrada por dentro, além de animais exóticos como o tucunaré, aves e pinguins, e do leão-marinho Macaé, que durante muito tempo encantou os visitantes do Aquário Municipal.

Coleção de Conchas e Areias
Ainda na sala da Vida Marinha, além da coleção de conchas, pode ser apreciada a coleção de areias de todo o Brasil, uma curiosidade que se encontra no Guiness Book. As areias ficam acondicionadas em vidrinhos que são expostos por região, mudando a cada temporada.

Sala de Exposições Temporárias
Esta sala, localizada no primeiro andar do edifício, abriga exposições temporárias sobre trabalhos de preservação ambiental desenvolvidos pela comunidade, escolas e organizações não governamentais.

Sala de História
Aqui você conhecerá a história e verá fotos do antigo Forte Augusto, da construção da Escola de Aprendizes de Marinheiro e suas atividades, do Instituto de Pesca e do Museu de Pesca.

Sala de Pesca
Com reproduções de barcos de pesca, redes e outros instrumentos da pesca artesanal.

A Sala dos Tubarões tem exemplares de várias espécies em mostra bem organizada.
O Museu de Pesca está em reformulação, com muitos projetos, novidades e interatividade com o público visitante:

Sala Diorama
Com a reprodução fiel dos ecossistemas do costão rochoso, do mangue e do fundo do mar. Utilizando resina, cola e outros materiais, artistas estão recriando o fundo do mar com suas conchas, caranguejos, estrelas-do-mar, não esquecendo de nenhum detalhe. A sala ainda está em obras e você poderá ver os artistas trabalhando.

Sala do Barco
Onde os visitantes receberão noções básicas de navegação.

Sala do Capitão
Sala que simulará a cabine do Capitão Padilha

Sala do Submarino
Cinema virtual em 3D que irá proporcionar uma viagem ao fundo do mar, mostrando aos visitantes através de um filme, os mais diversos animais marinhos .

Reforma dos jardins
Os jardins serão transformados num "ecojardim", com bromélias e até cachoeira.
 

Para quem quiser conhecer mais sobre as diferentes espécies de mamíferos marinhos que existem no nosso litoral e sobre a diversidade e a preservação do costão rochoso, o Museu de Pesca realiza cursos intensivos. Informe-se pelo telefone (13)3261-5260.

 

Panorama

Horário
Aberto de quarta a domingo, das 10h às 18h, inclusive feriados.
Nos meses de férias e temporadas costuma abrir todos os dias com horário ampliado (telefone para confirmar ou ligue para o DiskTur: 0800-173887).

Ingressos
O ingresso custa R$ 2,00.
Crianças até 6 anos e maiores de 60 anos tem entrada franca
Estudantes pagam meia entrada.
 

 

 

Emissário Submarino

Construído na década de 70 para conduzir os grandes dutos de esgoto da Estação de Tratamento até o alto mar, resultou em um grande aterro com aproximadamente 8.000 m², área que foi urbanizada em 1992 e reinvindicada pela Municipalidade ao Governo Federal.

Entregue à cidade, em 2009 a plataforma do Emissário Submarino ganhou um parque público, o Parque Municipal Roberto Mário Santini em cuja ponta, junto ao mar, se destaca uma grande escultura da artista plástica Tomie Ohtake, com 15 metros de altura, comemorativa dos 100 anos da imigração japonesa.

Com projeto do arquiteto Ruy Ohtake, o parque tem playground, áreas ajardinadas, pista de cooper, pista profissional de skate, bicicletário, ciclovia, equipamentos de ginástica, mesas ao ar livre para jogos, torre de vigilância, heliponto, gibitecas, espaços de apoio, áreas de convívio e sanitários públicos, além de arquibancada para 600 pessoas junto ao quebra-mar e do Museu do Surfe (aberto de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h, e nos fins de semana e feriados das 8h às 19h). Todo o projeto atende às normas de acessibilidade para deficientes físicos.

 

Ciclovia da orla

Um bom atrativo turístico da cidade é a faixa de ciclovias da orla, que vem ampliar as funções de lazer da praia. Inaugurada em 27 de dezembro de 2003, logo foi incorporada pelos santistas em seu cotidiano. Considerada uma das mais modernas do país, a ciclovia tem 2,5 metros de largura, em pista de mão dupla, com um traçado contínuo e seguro, pois é muito bem sinalizada, além de contar com iluminação para os passeios noturnos. Com 4,8 km de extensão, vai do Emissário Submarino, no José Menino, ao Canal 6 (Avenida Coronel Joaquim Montenegro).


Quiosques

Organizados em módulos distribuídos pela orla da praia, os quiosques foram construídos para abrigar os ambulantes que comercializavam alimentos em carrinhos e trailers. Com toda a infra-estrutura necessária e contando com mesas e bancos, os quiosques proporcionam maior limpeza e conforto para quem quer consumir um lanche rápido. De todos os módulos de quiosques da orla, o do Embaré (em frente à Igreja do Embaré) é o que concentra o maior movimento; funciona durante toda a madrugada e todos os dias da semana, e já ganhou até um nome dado por seus frequentadores: CPE - Centro de Paquera do Embaré.


Concha acústica

Localizada junto ao Canal 3, na orla da praia, a Concha Acústica Vicente de Carvalho é uma obra simples, porém moderna e funcional. É como um minicentro de cultura ao ar livre, onde são promovidos espetáculos artísticos e culturais com entrada gratuita, geralmente nos fins de semana.


Postos de salvamento

Construídos originalmente como pontos de observação e apoio para o trabalho dos salva-vidas, os postos distribuídos ao longo da praia contavam com pequena torre de observação, sanitários, enfermaria para atendimentos de emergência e serviços de auto-falantes para localizar crianças perdidas na praia.

Atualmente, eles abrigam desde biblioteca até cinema. São eles:

Posto 1
Localizado próximo ao Emissário Submarino, no José Menino, é Posto da Guarda Municipal de Santos.

Posto 2
Localizado na praia do José Menino, próximo ao Canal 2, abriga a Escola de Esportes Radicais desde 1992 (Veja Esportes - Surf).

Posto 3
Localizado no Gonzaga, próximo à fonte da Praça das Bandeiras, hoje é sede do Laboratório de Controle Ambiental que, entre outras atribuições, monitora a qualidade da água do mar.

Posto 4
Próximo ao Canal 3, foi adaptado em 1991 para a instalação do Cine-Arte, com capacidade para 48 pessoas, que exibe filmes de arte fora do circuito comercial e realiza mostras temáticas de filmes.

Posto 5
Localizado na praia do Boqueirão, em frente à Av. Conselheiro Nébias, desde 1992 abriga a Gibiteca Marcel Rodrigues Paes, com um acervo de aproximadamente 9 mil títulos de diferentes épocas e estilos, além de livros de RPG. Saiba mais sobre a Gibiteca em Atrações Culturais

Posto 6
Localizado na praia da Aparecida, é onde funciona a Biblioteca Municipal Mário Faria desde 1993, com um acervo de mais ou menos 5000 livros e atendimento informatizado. Nos fins de semana funciona o Espaço Aberto, para leitura no terraço, com mesas e guarda-sóis.

 

Aquário Municipal

Totalmente reformado, ampliado e modernizado, o Aquário Municipal reabriu em janeiro de 2006 com muitas novidades: um grande tanque oceânico de 5m de altura, um tanque amazônico que reproduz o fundo dos rios e um tanque de toque. As paredes externas do parque têm dois murais elaborados pelo artista e ambientalista norte-americano Robert Wyland, conhecido mundialmente pelo seu trabalho de conscientização ecológica focado na vida marinha. A grande atração é o lobo marinho, instalado em um enorme tanque com 450 mil litros de água que permite a visualização do animal submerso.

Aberto de terça a sexta-feira, das 9h às 18h (até 19h na temporada de verão), e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 20h. O ingresso custa R$ 5,00. Estudante paga meia entrada. Pessoas acima de 60 anos e crianças até 12 tem entrada franca.
Atenção: a venda de ingressos se encerra meia hora antes.
Av. Bartolomeu de Gusmão, s/n - Ponta da Praia - tel: 3236-9996.
ônibus a partir do Gonzaga - linhas 23 e 42.


Monte Serrat

Eleito pela população da cidade como o maior atrativo turístico da região em 1999, o Monte Serrat é cartão postal de Santos. Um dos pontos mais altos da cidade, com 147 metros acima do nível do mar, proporciona uma das mais belas vistas da cidade. Do seu mirante é possível ter uma visão completa do Porto, parte dos morros que cercam Santos, o Canal de Bertioga, o Estuário e as Ilhas Barnabé e de Santo Amaro. O sistema funicular de bondes, planejado em 1910, foi construído em 1923, e o complexo, incluindo um grande cassino, foi inaugurado em 1927. Seus exuberantes salões foram palco das grandes festas da época áurea do café, e funcionou assim até a proibição do jogo pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra, em 1946. Hoje, o Cassino está completamente reformado e sedia eventos e festas promovidas pela sociedade santista. Ainda conta com lanchonete e equipamentos de lazer para as crianças.

No alto do Monte também está a Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira da cidade, uma das atrações históricas da cidade, datada de 1603. Todos os anos, no início de setembro, a festa de N. Senhora de Monte Serrat atrai milhares de pessoas em procissão.

O acesso é feito por bonde funicular que parte de meia em meia hora.
Preço da passagem: R$ 18,00 (ida e volta).
Praça Correa de Melo, 33 - Centro - tel: (13) 3221-5665.
Ônibus a partir da Praça Independência - linha 20.
www.monteserrat.com.br


Orquidário Municipal
 
Parque zoobotânico com mais de 22 mil m² de área que mistura jardins cultivados com espécies naturais da mata atlântica, animais silvestres e uma coleção de orquídeas.

Aberto de terça a domingo, das 8h às 18h (nas férias abre todos os dias, das 9h às 19h). A entrada custa R$ 1,00. Crianças até 6 anos e pessoas acima de 60 anos não pagam ingresso.
Praça Washington, s/n - José Menino.
Ônibus a partir da praia do Gonzaga - linha 19 (desça no Canal 1) ou a partir da Praça Independência - seletivo 206.
Atenção: o parque está fechado para reforma desde 11/05/09.


Morro do José Menino / Itararé

Área concorrida para a prática do vôo livre e por seu panorama, que abrange toda a Baía de Santos, com suas praias e o porto, e a praia de Itararé até a Ilha Porchat, em São Vicente. No alto do morro funciona a rampa de decolagem, de responsabildade do Clube de Vôo Livre do Litoral Paulista, a Escola de Parapente Dinâmica do Ar e uma lanchonete.

Se você quiser voar, a Dinâmica do Ar oferece vôos em parapente com pilotos credenciados, mediante uma taxa de R$ 120,00 (vôo duplo) e R$ 170,00 (vôo triplo). Basta agendar, com 2 dias de antecedência, no site da escola ou com 1 dia de antecedência pelo tel. (13) 3321-5044. A escola funciona todos os dias, das 10h às 18h. O acesso de carro é feito pela Rua Monteiro Lobato, no José Menino (veja o mapa). Você também pode subir pelo teleférico situado na praia do Itararé, em São Vicente.



Atalhos da página
Editar Ver imagens no álbum.
Editar Imprimir esta página.
Editar Mandar link para um amigo.

Compartilhe esta página

Backsite Serviços Online
Há mais de 15 anos, o Backsite vem compartilhando as melhores soluções.

Rede Social Corporativa e-Solution Backsite